dinheiro

87% das negociações de reajuste salarial da indústria, comércio e serviços tiveram êxito em 2013

O DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, através do Sistema de Acompanhamento de Salários (SAS-DIEESE), analisou os resultados
das negociações coletivas de 671 unidades de negociação da Indústria, Comércio e Serviços em todo o território nacional no ano de 2013.

Na análise, constatou que cerca de 87% das unidades de negociação pesquisadas conquistaram reajustes com aumento real dos salários, 7% conquistaram reajustes em valor
igual à inflação e 6% tiveram reajustes insuficientes para recompor o valor dos salários desde a última data-base – segundo comparação com o INPC-IBGE1.

O aumento real médio em 2013 foi de 1,25%.

Os dados de 2013 revelam um recuo frente ao quadro analisado em 2012 – o melhor ano para a negociação dos reajustes salariais, de acordo com a pesquisa do SAS-DIEESE –, e dados mais próximos aos observados em 2011. Esse resultado já se prenunciava no balanço do primeiro semestre de 2013. Porém, também como era esperado, as negociações coletivas do segundo semestre apresentaram um desempenho melhor que as do primeiro e elevaram o patamar médio das conquistas no ano: 94% das unidades de negociação com data-base no segundo semestre conquistaram aumentos reais, e o aumento real médio foi de 1,52%.

Resultados

Em 2013, cerca de 87% dos 671 reajustes salariais analisados pelo SAS-DIEESE resultaram em ganhos reais para os salários. Esse percentual é cerca de 8 pontos percentuais inferior ao observado nas mesmas 671 unidades de negociação em 2012, mas é próximo dos resultados observados em 2010 e 2011 e superior aos registrados em 2008 e 2009.

Comentários foram encerrados.