ASSEMBLEIA

Acordo Campanha Salarial Unificada 2018/2019 será votada em assembleia com trabalhadores

Depois de várias reuniões de negociação da Campanha Salarial Unificada 2018/2019, a comissão de trabalhadores, representada pelas federações FEM/CUT, FITMETAL e FEMETAM, e a comissão de empresários, representados pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), chegaram num consenso sobre as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

Os sindicatos representados pelas três federações de trabalhadores têm até o dia 27 de outubro para realizar assembleias com a categoria para apresentar e votar o acordo da CCT.

O texto que será apreciado pelos metalúrgicos e metalúrgicas garanti a reposição salarial de 3,97%, a partir de 1º de outubro. Reajuste de 4,47% na primeira faixa do piso salarial e abono único especial de R$ 480,00 para trabalhadores de empresas que não têm PLR.

Além de conseguir manter a convenção sem a cláusula de Banco de Horas, os trabalhadores conquistaram também a manutenção de todas as cláusulas sociais e estabilidade no emprego por 30 dias a partir da assinatura do acordo.

“Encontramos muita resistência da patronal para avançar na construção deste acordo, muito em função do cenário econômico e político pelo qual o país atravessa. Inicialmente, para se ter uma ideia, a FIEMG queria extinguir o abono para trabalhadores de empresas que não têm PLR, mas, depois de muito debate, conseguimos manter este benefício na CCT, com valor de R$ 480,00. Agora ficará a cargo dos metalúrgicos e metalúrgicas a decisão de aprovar ou não o acordo construído”, disse Marco Antônio, presidente da FEM/CUT-MG.

Comentários foram encerrados.