071

ASSEMBLEIA NO SINDICATO DOS METALÚRGICOS DE BH/CONTAGEM PARA VOTAR O ESTADO DE GREVE

Na última terça-feira (15), foi realizada outra rodada de negociação com os representantes patronais na Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG). Mais uma vez os patrões deram uma “bofetada na cara” dos trabalhadores mantendo inalterada a proposta mixuruca que eles fizeram até agora.

Ainda tiveram a cara de pau de dizer na mesa que só irão aumentar a proposta de 5,9% de reajuste nos salários (na sua melhor faixa) se a categoria aprovar o famigerado banco de horas. Isso não é negociação. É chantagem!

A próxima rodada de negociação está agendada para a sexta-feira (25), mas pela atitude dos patrões nas últimas negociações, não temos muitas esperanças que eles mudem de postura.

Portanto, agora a provocação chegou ao seu limite. O que os patrões estão fazendo é um total descaso e desrespeito com seus trabalhadores.

Somos país de famílias, profissionais competentes, produzimos a riqueza das empresas e do país. Merecemos ser tratados com respeito.

Exigimos uma proposta digna e séria, a altura do conquistado pelas demais categorias que já encerraram a campanha salarial.

Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e Região, Geraldo Valgas, chegou a hora de aprovar o Estado de Greve. “Venham a assembleia geral que será realizada na quinta-feira (24), às 18h, nasede do Sindicato, para aprovar o Estado de Greve e dizer não ao banco de horas. Tragam seus companheiros de fábrica. Não há outro caminho a seguir. Chegou a hora de avançar na luta e mostrar a nossa força. Chegou hora da greve dos metalúrgicos de Minas Gerais.”

Cresce o clima de revolta nas fábricas!

Diante das dificuldades criadas na mesa de negociação pela bancada patronal, o Sindicato vem intensificando a mobilização nas fábricas da nossa categoria, pois considera que esse é o caminho para conquistar aumento real e o atendimento das demais reivindicações que os trabalhadores querem e merecem.

Mesmo com a presença constante da Policia Militar, que, na maioria das vezes, comparece em grande númeronas portarias das fábricas com a clara intenção de prejudicar nossa atividade, estamos conseguindo manter o diálogo com os trabalhadores, que não se intimidam e participam em peso das assembleias.

Nas “conversas de pé de ouvido” que os trabalhadores fazem com os diretores do Sindicato eles estão mostrando toda sua revolta com a proposta mixuruca dos patrões e já manifestaram sua disposição de avançar na luta, caso seja necessário.

Foi assim na CNH e Aethra de Contagem, foi assim na Jabil em Betim e está sendo assim em todas as outras fabricas nas quais estamos realizando atividades.

Valeu companheirada, é isso mesmo, pois o momento é de união e participação. É assim, lutando juntos, que iremos conquistar a vitória!

Fonte: www.sindimetal.org.br

Comentários foram encerrados.