WhatsApp Image 2018-11-07 at 4.33.56 PM

Assinatura da CCT marca encerramento da Campanha Salarial dos Metalúrgicos de Minas

O encerramento da Campanha Salarial Unificada 2018/2019 dos metalúrgicos de Minas se deu nessa quarta-feira, 07 de novembro, com a assinatura da nova Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

Diante de todas as dificuldades encontradas pela comissão de trabalhadores, os Metalúrgicos de Minas conseguiram um reajuste salarial de 3,97%, retroativo a outubro, abono único especial de R$ 480,00, para trabalhadores de empresas que não têm Participação nos Lucros e Resultados (PLR), garantia de emprego de 30 dias, a partir da assinatura da CCT e a manutenção de todas as cláusulas sociais.

Aproveitando-se da reforma trabalhista, que impôs um imenso retrocesso para a classe trabalhadora, a FIEMG, que negocia em nome dos patrões, queria, através da CCT dos metalúrgicos, rebaixar ainda mais os direitos dos trabalhadores.

A comissão de trabalhadores, depois de várias reuniões e muito empenho de todos, conseguiu evitar que a FIEMG colocasse no acordo cláusula sobre banco de horas, parcelamento de férias e a redução do horário de almoço para 30 minutos. Se dependesse da patronal, nem o abono único especial seria pago aos metalúrgicos que não têm PLR.

Por entender a importância de haver instituições fortes e combativas para representar os trabalhadores na relação capital e trabalho, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e o Ministério Público do Trabalho (MPT), homologaram o acordo assegurando a cláusula sobre a Taxa Negocial.

Ficou estabelecido um desconto de 4% no salário dos trabalhadores, dividido em duas parcelas e com valor máximo, por parcela, de R$ 60,00. Ex. O trabalhador que recebe R$ 2.000,00 vai pagar duas parcelas de R$ 40,00. O desconto será nos salários de dezembro e janeiro.

O acordo da CCT dos metalúrgicos de Minas servirá de exemplo para os demais sindicatos do país.

Cópia da ata da reunião no TRT

Comentários foram encerrados.