manifestação

Campanha salarial é fechada com ganho real para os metalúrgicos de Minas

A Federação dos Metalúrgicos da CUT de Minas Gerais (FEM/CUT-MG), juntamente com os sindicatos filiados e com as outras federações que participaram unificadas da campanha salarial deste ano, conseguiu mais uma vez fechar o acordo com a patronal garantindo aos trabalhadores ganho real (acima da inflação) no reajuste de salário.

Mesmo com toda a dificuldade econômica enfrentada pelo país em função da crise internacional, a FEM/CUT-MG contribuiu sobremaneira na organização de estratégias para garantir, na mesa de negociação com a patronal, a valorização do trabalhador, principal responsável pelo lucro das empresas.

O acordo negociado em mesa e aprovado pelos trabalhadores em assembleia reajusta o salário, para empresas com até 50 empregados, em 6,8% a partir de 1º de outubro (0,20% de aumento real). Para salários acima de R$ 6.224,00 parcela fixa de R$ 423,30.

Para empresas acima de 50 empregados, o reajuste foi de 7% a partir de 1º de outubro. (0,38% de aumento real). Para salários acima de R$ 6.224,00 parcela fixa de R$ 435,70.

Além do aumento salarial, foi negociado abono único e especial para empresas que não tem PLR de R$ 550,00 em duas parcelas, R$275,00 em janeiro de 2015 e R$275,00 em fevereiro de 2015.

O salário de ingresso ou piso salarial também foi reajustado. Houve aumento de 9,46% para empresas com até 10 empregados (R$ 899,80). Empresas que tenham de 11 até 400 trabalhadores o piso passou para R$ 926,20. De 401 até 1000 trabalhadores o piso chegou em R$990,00. Empresas com mais de 1000 empregados o salário de ingresso passou para R$ 1,225,40. A correção nas três últimas faixas de pisos foi de 7,5%.

Comentários foram encerrados.