manifestação

Centrais sindicias e movimentos sociais realizam 1º de Maio de luta

Em defesa dos direitos da classe trabalhadora, da democracia, da Petrobras e da reforma política, centrais sindicais e movimentos populares do campo e da cidade se unem no próximo 1º de Maio, Dia do Trabalhador (a), que será comemorado em todo país.

Neste 1º de maio, os movimentos reforçam a pressão contra o Projeto de Lei 4330/04, que retira direitos trabalhistas históricos ao permitir a terceirização sem limites, em todas as funções de qualquer empresa e setor.

Também continua a mobilização contra a Medida Provisória (MPs) 664 e 655, que, respectivamente, muda as regras para a concessão do auxílio-doença e pensão por morte, e que dificulta o acesso ao seguro-desemprego e ao abono salarial. No lugar de uma política de ajuste fiscal que penaliza a classe trabalhadora, gerando emprego e recessão, as entidades defendem a taxação das grandes fortunas, primeiro passo à reforma tributária no Brasil.

Outro embate é pela manutenção do estado democrático de direito, contra a onda golpista em curso, que, se for vitoriosa, trará retrocessos a toda a sociedade brasileira.

Combate à corrupção e defesa da Petrobras

Para as organizações, o combate à corrupção deve ser feito por meio de uma reforma política que, entre outras mudanças, proíba o financiamento empresarial de campanha eleitoral. Sem o essa medida, o sistema político do país continuará seguindo os interesses das empresas que financiam as campanhas eleitorais e não os interesses da população.

Os movimentos reforçam, ainda, a luta em defesa da Petrobras, alvo de ataques por aqueles que querem enfraquecer o patrimônio brasileiro com o intuito de privatizá-lo, transferindo os recursos do pré-sal – que devem ser investidos em saúde e educação – à iniciativa privada.

As entidades assinam conjuntamente o conteúdo abaixo, no qual ressaltam o respeito aos direitos trabalhistas e à democracia, entre outras reivindicações.

Em Defesa dos Direitos da Classe Trabalhadora, da Democracia, da Petrobrás e da Reforma Política

O 1º de Maio é um dia de luta por ampliação de direitos da classe trabalhadora e de reflexão sobre os direitos conquistados por trabalhador/as de todo o mundo. A história que se tem registro começa em 1886, quando trabalhadores de Chicago (EUA) fizeram uma greve geral para reivindicar redução da jornada de trabalho de até mais de 16 horas diárias para 8 horas. A polícia entrou em confronto. Dezenas de manifestantes foram feridos e alguns mortos. Anos depois, vários países reconheceram a data como feriado, entre eles, o Brasil, a partir de 1925.

Em 2015, neste Dia 1º de Maio, nós trabalhadores/as estamos nas ruas, reivindicando respeito aos direitos duramente conquistados e por sua ampliação.

Em defesa dos direitos, contra o ajuste fiscal: Continuaremos a pressão contra a aprovação do PL 4330, que retira direitos de todos/as os/as trabalhadores/as ao permitir a terceirização sem limites, em todas as funções de qualquer empresa e setor. Também continuaremos mobilizados contra a Medida Provisória (MP) 664, que muda as regras para a concessão do auxílio-doença e pensão por morte, e contra a MP 665, que dificulta o acesso ao seguro-desemprego e ao abono salarial. Somos contra a política de ajuste fiscal que penaliza o/a trabalhador/a, que gera desemprego e recessão. Defendemos a taxação das grandes fortunas, como primeiro passo para uma reforma tributária em nosso País.

Em defesa da democracia, contra a intolerância: Nossa luta também é pela manutenção do estado democrático de direito, contra a onda golpista em curso, que, caso vitoriosa, trará retrocessos para a classe trabalhadora, para a juventude, para as mulheres. Nossa luta é contra o preconceito de gênero, raça e etnia, crença, orientação sexual, ideologia política e outras opressões.

Corrupção se combate com o fim do financiamento empresarial de campanha: Corrupção se resolve com reforma política, com a proibição do financiamento empresarial de campanha e não com golpe de Estado. Enquanto essa forma de financiamento não for proibida, o sistema político brasileiro continuará a seguir os interesses das empresas que financiam as campanhas, e não aos interesses do povo brasileiro.

Em defesa da Petrobras e do pré-sal, patrimônios do povo: A Petrobras é do povo brasileiro e não dos patrões! Os ataques à empresa por parte do empresariado e seus representantes, contam com o apoio da grande imprensa e tem o objetivo de enfraquecer esse patrimônio brasileiro para que possam privatizá-lo e, assim, os recursos do pré-sal, que deveriam ser destinados à saúde e educação, iriam para a iniciativa privada, aumentando ainda mais os lucros dos patrões.

Direito não se reduz, se amplia!

Por reforma agrária, urbana, tributária e política

Entidades que assinam

Centro de Estudos da Mídia Alternativa “Barão de Itararé”
CMP – Central dos Movimentos Populares
CONAM – Confederação Nacional de Associações de Moradores
CONEN – Coordenação Nacional de Entidades Negras
Consulta Popular
CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil
CUT – Central Única dos Trabalhadores
FDE – Fora do Eixo/Mídia Ninja
FETRAF – Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar
FLM – Frente de Luta por Moradia
FNDC – Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação
Intersindical CCP
Juventude Revolução
Levante Popular da Juventude
MAB – Movimento dos Atingidos Por Barragens
MMM – Marcha Mundial das Mulheres
MPA – Movimento Pequenos Agricultores
MST – Movimento dos Trabalhadores Sem Terra
MTST –Movimento dos Trabalhadores Sem Teto
Plataforma Operaria Camponesa da Energia
Plebiscito Constituinte
UBES – União Brasileira dos Estudantes Secundaristas
UBM – União Brasileira de Mulheres
UNE – União Nacional Dos Estudantes
UNEGRO – União de Negros pela Igualdade
UNMP – União Nacional por Moradia Popular

Confira as mobilizações nos Estados sobre o 1º de Maio em defesa dos direitos, da democracia, da Petrobras e da reforma política.

Paraíba: Será realizado no dia 30 abril, à partir das 9h, na Lagoa Parque Solon de Lucena.
Amapá: Feira do Pacoval,Rua Adílson José Pinto Pereira, 97, às 16h00.
Bahia: Será no Terreiro de Jesus, no Pelorinho, às 13h00.
Belém: O ato será realizado às 8h00 na Praça do Operário, em São Brás, saindo em caminhada até a Praça da República.
Brasília: na Torre de TV, no Centro, às 9h00.
Ceará: O ato será realizado na Praça Cruz Grande, na Anevida Dedé Brasil S/N, às 8h00.
Espírito Santo: Concentração na Praça dos Namorados, Av. Saturnino de Brito, 1075 – Praia do Canto, às 8h00.
Goiás: Abertura às 8h00, na Praça do Trabalhador.
João Pessoa: Concentração no Parque Salon de Lucena (Lagoa), às 14h00.
Natal: Os Metalúrgicos de Natal vão realizar um ato no Clube da Telern, Av. Amintas Barros com a Av. 07, a partir das 11horas.
Mato Grosso do Sul: Concentração no posto Jaú 163 – sentido Anhanduí, às 6h30
Pernambuco: Ato na praça Oswaldo Cruz, na Boa Vista, às 9h00.
Ponta Grossa (RS): O Sindicato dos Metalúrgicos de Ponta Grossa irá realizar a festa do 1º de Maio nas dependências do Clube do Trabalhador, Avenida Copel S/N, Bairro Santa Luzia.
Porto Alegre: Evento será na Usina do Gasômetro, em Porto Alegre, a partir das 14h.
Rio de Janeiro: A concentração será no Arcos da Lapa, às 15h00.
Santa Catarina: No parque metropolitano do Monte Cristo, em Florianópolis, às 13h00.
São José dos Campos: Abertura na Praça 1º de Maio, Novo Horizonte, às 10h00.
São Paulo Capital: Vale do Anhangabaú, centro paulistano, a partir das 10h00.
ABC: Jardim do Lago, Rua Ministro Edgar Rocha, 35, São Bernardo do Campo, às 9h30 e Jardim Palermo, Avenida Luiz Pequini, 700, São Bernardo do Campo, a partir das 9h30.
Sergipe: Concentração será na Praça Chico Mendes no Conjunto Orlando Dantas Aracaju, às 8h00.
Teresina: Concentração na Praça Rio Branco, às 10h00.

(Fonte: CUT Nacional)

Comentários foram encerrados.