manifestação

Com reeleição da Dilma, metalúrgicos ganham força para vencerem na campanha salarial

Companheiros, com a eleição da presidente Dilma os metalúrgicos venceram o primeiro grande desafio deste ano. A vitória do projeto dos trabalhadores garante a chance de avançar na luta pela redução da jornada de trabalho, fim do fator previdenciário, combate a terceirização, entre outras bandeiras importantes da classe trabalhadora brasileira.

Agora, passada a eleição, os metalúrgicos de Minas precisam vencer o segundo desafio que é a campanha salarial 2014. Nele estão em jogo reivindicações especificas da categoria como o aumento dos salários e a melhoria das condições de trabalho.

Assim como foi garantido nas urnas a continuidade dos avanços para o Brasil, é preciso intensificar a luta nas fábricas para garantir a ampliação das conquistas dos trabalhadores. É hora de lutar para conquistar um acordo vitorioso nesta campanha salarial e, dessa forma, fechar 2014 com chave de ouro.

No dia 31 de outubro, sexta-feira, será realizada uma nova rodada de negociação com a Fiemg. É esperado que desta vez haja avanço e a patronal apresentem uma proposta de reajuste salarial digna, com um aumento real que valorize o trabalhador.

Até aqui a proposta da Fiemg sequer repõe a inflação do período. A revolta da companheirada com a enrolação dos patrões cresce a cada dia que passa nas fábricas. São 250 mil trabalhadores na luta por melhores salários em todo Estado. Sindicatos envolvidos na campanha salarial unificada estão preparando uma grande manifestação para responder a essa provocação patronal. Agora que passou a eleição, chega de Blá-Blá-Blá e se não houver avanços, a “batata vai começar a assar” para os patrões.

Para fortalecer nossa luta sigam estas orientações:

– É hora da operação tartaruga. Se os patrões não estão com pressa em dar o aumento que vocês merecem, não tenham pressa em produzir para eles.

– Só acreditem nas informações do Sindicato. Os patrões, através de suas chefias e comunicados internos vão querer confundir vocês trabalhadores. Não caiam nessa armadilha e leiam sempre os boletins do Sindicato.

– Não façam horas extras.

– Parem para ouvir o recado do Sindicato e participem de todas as atividades realizadas na portaria da sua fábrica.

Comentários foram encerrados.