1

Encontro na Escola Sindical 7 de Outubro debate setor siderúrgico brasileiro

A Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT de Minas (FEM/CUT-MG) participou do Encontro Nacional de Trabalhadores (as) no Segmento Siderúrgico, realizado pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM/CUT), na Escola Sindical 7 de Setembro, em Belo Horizonte, dias 19 e 20 de julho. Participaram do evento dirigentes sindicais de vários estados do país.

6

Representantes do setor siderúrgico de todo o país participaram do encontro.

O encontro foi realizado para dar continuidade às ações referentes à organização dos segmentos do ramo metalúrgico da CNM, com os objetivos de: Aprofundar os conhecimentos do segmento e suas interfaces na política industrial; Debater as propostas da CNMCUT para o crescimento e organização da indústria; Socializar informações sobre as formas de organização no local de trabalho; Avaliar o plano de ação do segmento construído em 2015 e elaborar novas propostas.

Representando a CNM/CUT, o secretário geral, Loricardo Oliveira, avalia a importância do encontro “Esse encontro é fundamental nesse momento em que o Brasil passa por um golpe de estado. Esse é um setor que necessita de investimentos e precisa pensar o futuro do Brasil, não só o futuro do investimento empresarial e do governo, mas também a relação sindical e do trabalho. Estamos aqui olhando o que construímos e o que precisamos construir e traçando estratégia para garantir a organização no local de trabalho, a questão sindical e de investimentos”, disse o sindicalista.

O presidente da FEM/CUT-MG, Marco Antônio, acredita que o conhecimento adquirido nesse debate será mais uma ferramenta na busca da valorização dos trabalhadores nessa campanha salarial. “Nós estamos iniciando nossa campanha salarial e esse debate foi muito proveitoso e contribuirá para que a gente faça na FIEMG uma negociação que resulte em avanços e melhorias para os trabalhadores, saindo do debate de perdas de direitos para o de ganho real, melhoria da economia e geração de emprego”, declarou.

José Wagner, tesoureiro da FEM/CUT-MG, destacou a realização do encontro em Minas por ser o Estado que mais produz aço no país. “O encontro em Minas retrata a importância do nosso Estado na produção de aço. Vamos aqui tirar algumas estratégias de encaminhamento para os trabalhadores e trabalhadoras desse setor para que a gente possa ter um melhor desempenho nas campanhas salariais e que não só o trabalhador pague por esse momento de crise no Brasil e no mundo”, disse.

Para o metalúrgico e coordenador geral da Escola Sindical 7 de Outubro, Adilson Pereira dos Santos, o encontro é fundamental para auxiliar na luta contra a retirada de direitos “Com toda essa crise na industria em geral, é importante discutir nacionalmente como anda o setor siderúrgico. Aqui no Estado temos a Usiminas e a Arcelor que busca flexibilizar os direitos dos trabalhadores cada vez mais. Então, esse encontro serve para reforçar nossa luta pela garantia dos postos de trabalho e contra a retirada de direitos”. Leandro Gomes (Assessoria de Comunicação da FEM/CUT-MG)

Comentários foram encerrados.