_MG_4741

FEM-CUT/MG e CNM/CUT promovem encontro de formação e curso de igualdade racial

Nesta quinta-feira (18) teve início o curso de combate ao racismo para a construção da igualdade racial e o encontro regional dos secretários de formação da Federação dos Metalúrgicos da CUT de Minas Gerais (FEM-CUT/MG). As atividades são promovidas pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), com o apoio da FEM-CUT/MG). O evento, que se estende até esta sexta-feira (19), acontece na Escola 7 de Outubro, em Minas Gerais.

A abertura da atividade aconteceu em conjunto, mas prosseguem separadamente com a programação individual. A mesa de abertura contou com a presença do presidente da Federação, Marco Antônio de Jesus, da secretária de Igualdade Racial da FEM-CUT/MG, Margareth da Silva Gonçalves, da secretária de Igualdade Racial da CNM/CUT, Christiane dos Santos e das secretárias de formação da FEM e CNM, Alexandra Amaral e Michelle Marques, respectivamente.

O presidente da Federação dos Metalúrgicos da CUT de Minas Gerais lembrou da criação da secretaria de Igualdade Racial no congresso da entidade, que aconteceu em julho deste ano. “O Brasil passa por um momento difícil e exige muita luta da classe trabalhadora, pois os direitos trabalhistas estão sendo diariamente atacados. Em conjunto com a formação esperamos articular ações para levar os sindicatos o debate do racismo”, afirmou.

“É um debate difícil, pois exige mudanças da sociedade e do sindicalismo. Será necessário juntar forças e lembrar sempre da juventude, que é o futuro do movimento sindical, por isso queremos trazê-los para fortalecer a luta”, completou Margareth.

Já Christiane fez um histórico da Secretaria de Igualdade Racial da Confederação. Segundo ela, antes da CNM/CUT criar uma política de combate ao racismo foi necessário formar os dirigentes de sindicatos e federações. “Temas como o racismo e preconceito são complicados de abordar, por isso começamos com cursos sobre estes temas. Por isso, fizemos dois módulos de formação até criarmos o coletivo de Igualdade Racial dos metalúrgicos da CUT”, explicou.

Já Michelle destacou que a Secretaria de Formação da Confederação busca desenvolver as ações com o objetivo de dialogar com as federações e sindicatos em relação a organização do local de trabalho. “Por exemplo, os coletivos regionais são organizados para fomentar as políticas da CUT e da CNM nas demais instâncias sindicais. Além disso, há preocupação no fortalecimento das escolas sindicais de formação, que são espaços históricos da classe trabalhadora”, afirmou.

“A formação poderá contribuir para o fortalecimento das ações que os sindicatos desenvolvem, no fortalecimento de seus quadros, por isso será muito importante sempre trabalhar em parceria para ficarmos mais fortes”, concluiu Alexandra.

(Fonte: Assessoria de imprensa da CNM/CUT)

Comentários foram encerrados.