marco

FEM e Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem realizam debate sobre reforma da previdência

A Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM/CUT-MG) e o Sindicato dos metalúrgicos de BH/Contagem e região, lançaram oficialmente a campanha Reforma da Previdência, sua aposentadoria acaba aqui. Durante o evento aconteceu um debate sobre o que é a Proposta de Emenda à Constituição (PEC ) 287 e de como ela vai piorar a situação dos trabalhadores da ativa e aposentados e dos impactos da reforma na sociedade.

Também foi criado um comitê sindical e popular que será um espaço de discussão, articulação e atividades locais nas portarias das fábricas, para esclarecer aos trabalhadores e sociedade, sobre os perigos da reforma previdenciária proposta pelo governo golpista de Temer
Segundo o presidente da FEM, Marco Antônio, “quando derrubaram a presidente Dilma, muitos acharam que o golpe era contra ela e contra o PT, mas na verdade o golpe foi contra a classe trabalhadora. Prova disso são que todas as ações colocadas desde o golpe foram contra os trabalhadores. Por isso devemos nos organizar e mobilizar para lutar contra a reforma da previdência e todas as outras medidas que representam retrocesso”.

Para o presidente do Sindicato e vice presidente da FEM, Geraldo Valgas, é importante que todos tomem consciência da necessidade da luta contra a reforma e se mobilizem. “Esta campanha vai impulsionar as lutas dos metalúrgicos e da sociedade contra essa reforma absurda, pois todos perderão com essas novas regras para aposentadoria. Para que isso não aconteça é preciso muita mobilização, luta e pressão sobre os deputados e senadores “, falou.

No debate estiveram presentes o ex-ministro da Previdência, Carlos Gabas, o presidente da CNM-CUT, Paulo Cayres, o ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Lopes Feijó, a presidente da CUT-MG, Beatriz Cerqueira, o presidente da FEMCUT/MG, Marco Antônio,  além de representantes do Sindimetal de Pouso Alegre,  Sindimetal de Juiz de Fora,  Sindipetro,  Sintserpi , Sindágua, Sindicato dos Refratários, Siresemg, Sinttel, Sindimetal de Extrema, Sindicato das enfermerias, Sindsaúde, Amabelcon, CUT Nacional, FNDC, Prefeitura de Ibirité, PTMG, OABMG, assessorias das deputadas Margarida Salomão e Marília Campos e trabalhadores metalúrgicos.

Comentários foram encerrados.