_MG_2512

GREVE GERAL: QUEREM RETIRAR NOSSOS DIREITOS E AUMENTAR IMPOSTOS

Os metalúrgicos de Minas e vários movimentos sociais fizeram um grande ato na Cidade Industrial de Contagem, na greve geral desse dia 30 de junho em defesa dos direitos dos trabalhadores e contra o aumento de impostos. A concentração teve início às 4h00 da manhã em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem.

Centenas de trabalhadores, dirigentes sindical e lideranças dos movimentos de luta por moradias fizeram uma caminhada pela avenida Amazonas discursando no caminhão de som e carregando faixas e cartazes contra o governo ilegítimo e golpista do Temer e contra as reformas trabalhista e da previdência, que retiram direitos dos trabalhadores.

Se não bastasse o governo federal, composto em sua maioria por pessoas envolvidas em escândalos de corrupção, querer jogar nas costas dos trabalhadores e trabalhadoras a conta da crise, reduzindo o custo com o trabalhador para sobrar mais dinheiro para o capital financeiro, agora ele já fala em aumento de impostos.

O Temer quer aumentar impostos para maquiar o insucesso que suas medidas têm resultado. O congelamento dos investimentos públicos em saúde e educação por 20 anos, a terceirização sem limites, a entrega do pré-sal ao capital estrangeiro, entre outras coisas resultaram em 14 milhões de desempregados, fechamento da farmácia popular, redução dos investimentos no minha casa, minha vida, Fies e Prouni.

Os trabalhadores e trabalhadores não podem aceitar calados o desmonte das conquistas sociais duramente alcançadas. A luta não é minha e nem sua, a luta é de todos nós.

A nota triste da manifestação foi a ação truculenta da Polícia Militar contra os manifestantes. Spray de pimenta foi jogado no rosto de várias pessoas sem nenhum motivo. O companheiro Valdinei, do Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem foi preso, algemado e levado para a delegacia sem ter cometido qualquer crime. Infelizmente a Polícia Militar de Minas Gerais trata o trabalhador e a trabalhadora como se fossem bandidos.

Comentários foram encerrados.