Foto: Fiat/Divulgação

Indústria do interior de Minas ganha fôlego

Após encerrar 2013 com faturamento menor na maior parte das regiões, a indústria instalada no interior do Estado ganhou fôlego e mantém o ritmo aquecido no primeiro bimestre deste ano. Em janeiro e fevereiro, as seis regiões avaliadas pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) apresentaram resultados positivos. O melhor desempenho foi observado no Norte, onde o incremento chegou a 22,5% em relação ao mesmo período do exercício passado. Já o pior foi verificado nas empresas do Triângulo, onde o aumento chegou a 3,57% na mesma base de comparação.

Os dados fazem parte da Pesquisa Indicadores Industriais Regionais (Index-Regionais), realizada pela Fiemg. Conforme divulgado pela entidade, de maneira geral, a receita do setor em Minas Gerais acumulou alta de 3,51% no primeiro bimestre em relação ao mesmo período de 2013.

Segundo a Fiemg, na divisão por regiões, o maior incremento ocorreu no Norte do Estado, onde o faturamento da indústria subiu 22,5% entre janeiro e fevereiro deste ano, frente aos mesmos meses de 2013. A maior contribuição veio do setor de produtos alimentícios, que cresceu 25,94% no mesmo período. Na região, a massa salarial aumentou 9,35%, mas, por outro lado, o nível de emprego caiu 5,71% e as horas trabalhadas recuaram 11,57%.

No Sul de Minas a alta na receita foi de 17,18% no acumulado de 2014 até o segundo mês de 2014, com destaque para a categoria de produtos de minerais não metálicos elétricos, cuja expansão chegou a 16,16% na mesma base de comparação. Ainda na região, o número de empregos aumentou em 4,63%, as horas trabalhadas cresceram 7,3% e a massa salarial subiu 2,68%.

Leste -O Leste apresentou alta de 12,77% no faturamento nos dois primeiros meses deste ano sobre os mesmos meses do exercício anterior. O setor de produtos alimentícios puxou o incremento, já que teve alta de 21,36% nos resultados. Apesar disso, os postos de trabalho caíram 8,81% no mesmo tipo de confronto e as horas trabalhadas diminuíram 5,54%. Já a massa salarial aumentou 4,4%.

Nas indústrias do Centro-Oeste mineiro a expansão média do faturamento chegou a 7,33%. Neste caso, o destaque ficou por conta da metalurgia básica (+6,22%). O nível de emprego na região avançou 0,43%, as horas trabalhadas 0,05% e a massa salarial 5,92%, sempre em relação ao mesmo período de 2013.

Na Zona da Mata o faturamento do primeiro bimestre foi 4,73% maior do que o registrado nos dois primeiros meses do ano anterior. O segmento de produtos têxteis liderou a alta, com 10,8% de aumento. Acompanhando a tendência, as horas trabalhadas cresceram 7,08%. Por outro lado, o nível de emprego na região caiu 3,8% e a massa salarial foi reduzida em 10,24%.

Por fim, a receita das indústrias do Triângulo, ainda segundo a Fiemg, avançou 3,57%, representando o menor resultado no bimestre para o interior do Estado. O destaque na região foram os produtos químicos, com incremento de 75,82%. Ao mesmo tempo, o emprego caiu 7,29%, as horas trabalhadas cresceram 4,73% e a massa salarial aumentou 10,03%.

Comentários foram encerrados.