Rodada de negociação FEM e G10 - realizada na semana passada- crédito: Mídia Consulte

Levantamento parcial FEM mostra os sindicatos que aprovaram 8% de reajuste salarial

Os  sindicatos metalúrgicos da base da FEM-CUT/SP no ABC paulista, Salto, Itaquaquecetuba, Cajamar, Bauru e Taubaté, que representam cerca de 150 mil metalúrgicos, aprovaram em assembleias a contraproposta de aumento salarial de 8% (INPC da data-base da categoria, 1º de setembro, 6,07% e mais 1,82% de aumento real) dos setores dos Grupos 2, 3, 8 e Fundição (abaixo a classificação dos setores) no Estado.
O levantamento parcial foi realizado pela Federação na quarta-feira, dia 25. No total, dos 13 sindicatos filiados, seis aprovaram nas bases o aumento de 8% e os demais farão assembleias nos próximos dias.
Além destes grupos patronais, a bancada da Estamparia também apresentou reajuste de 8%, que será submetido à apreciação dos trabalhadores em assembleias. A contraproposta das bancadas aconteceu após os sindicatos metalúrgicos iniciarem paralisações e assembleias prolongadas nas portas das fábricas em todo o Estado na semana passada.
Agora para encerrar a Campanha Salarial da FEM só falta o Grupo 10 (que reúne os setores de lâmpadas, equipamentos odontológicos, iluminação, material bélico entre outros). A negociação com a bancada acontecerá na sexta-feira, 27, às 10h, no Sindilux, na FIESP.

Balanço e avanços sociais
Na avaliação do presidente da FEM-CUT/SP, Valmir Marques da Silva, Biro Biro, o balanço da Campanha Salarial é extremamente positivo. “Conquistamos o INPC e mais 1,82% de aumento real, sem dúvida, é um dos maiores acordos do País neste momento”, conta.
Biro destacou que a Campanha é vitoriosa porque assegurou importantes avanços nos direitos sociais que beneficiarão as mulheres metalúrgicas, os trabalhadores em idade de prestação de serviço militar e os estudantes. “No Grupo 3, por exemplo, conquistamos a cláusula nova que garante uma função compatível à mulher gestante, a redução no atendimento de trabalhadores no plantão ambulatorial de 100 para 75 e garantias sindicais. Na Fundição, conquistamos a licença maternidade para a trabalhadora adotante e também uma licença em caso de aborto entre outros avanços”, concluiu.

FEM e G10 se reúnem na sexta
A negociação com as empresas do G10 será na sexta-feira, dia 27, às 10h, no Sindilux, na FIESP. Na última rodada, a FEM reprovou a  contraproposta de 7,5% (1,35% de aumento real) da bancada. Este é o último setor patronal da base da Federação que ainda não avançou  na negociação.

Base FEM-CUT/SP
Data-base: 1º de setembro
Grupo 2 (máquinas e eletrônicos)
Total:75.500
Grupo 3 (autopeças, forjaria, parafusos)
Total: 51 mil
Grupo 8 (trefilação, laminação de metais ferrosos; refrigeração, equipamentos ferroviários, rodoviários entre outros)
Total: 36 mil
Grupo 10 (lâmpadas, equipamentos odontológicos, iluminação, material bélico entre outros)
Total: 35 mil
Estamparia
Total: 4.000
Fundição
Total: 4.000
Total: 205,5 mil metalúrgicos em Campanha

Autor (a): Viviane Barbosa, Assessora de Imprensa e Comunicação da FEM-CUT/SP

Fonte: FEM-CUT/SP

Comentários foram encerrados.