volks

Manifesto em apoio aos metalúrgicos do ABC e São Bernardo

A Federação dos Metalúrgicos da CUT de Minas Gerais (FEM/CUT-MG) se solidariza com os 244 companheiros demitidos da Mercedes-Bens e os 800 trabalhadores dispensados da Volkswagen.

A FEM/CUT-MG é contrária a demissão em massa e entende que esse tipo de atitude visa única e exclusivamente defender o lucro dos empresários, por isso defende e apoia os metalúrgicos das duas montadoras que iniciaram uma greve visando a readmissão desses companheiros.

As montadoras do ABC Paulista e São Bernardo alegam para suas demissões o fraco desempenho econômico nas vendas de veículos, porém, em momento algum falam em reduzir seus lucros para aquecer as vendas.

Para se ter uma ideia, um veículo vendido no Brasil por R$ 56,200, mesmo descontando todos os impostos e o lucro da concessionária, custa quase R$ 9 mil a mais do que o mesmo carro vendido no México, o que torna o carro vendido aqui o mais caro do mundo.

A FEM/CUT-MG lembra ainda que este setor foi um dos mais beneficiados com incentivo fiscal do governo federal com a redução do imposto sobre produtos industrializados (IPI), obtendo lucros históricos neste período.

Comentários foram encerrados.