encontro mulheres

MG: Coletivo Estadual de Mulheres Metalúrgicas discute plano de ação

A Secretaria de Mulheres da Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT/MG realizou na última quarta-feira (27), o terceiro encontro do Coletivo de Mulheres Metalúrgicas. O encontro, que aconteceu no Sindicato dos Metalúrgicos de Juiz de Fora, discutiu temas como o assédio moral enfrentado no ambiente de trabalho, a definição da agenda para o lançamento da Campanha de Sindicalização voltada para as metalúrgicas, além das pautas que serão debatidas no 1º Encontro Estadual de Mulheres, que deverá acontecer em janeiro.

Participaram do evento representantes da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), da FEM-CUT/MG e dirigentes do Sindicato de Belo Horizonte/Contagem, Pouso Alegre e Matozinhos.

“É importante fazer o levantamento de todos os problemas enfrentados pelas mulheres e levar a discussão para dentro das fábricas para que providências sejam tomadas. A participação das diretoras neste encontro qualifica os debates”, afirmou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Juiz de Fora, João César da Silva, na abertura do evento. A seu lado, estavam a secreetária de Mulheres da FEM, Maria Ferreira Lopes, a secretária de Igualdade Racial da CNM/CUT, Christiane Aparecida dos Santos e o vice-presidente do Sindicato, Osvair de Oliveira.

Segundo Maria Ferreira, os casos de assédio moral e afastamento por doença ocupacional vêm aumentando entre as trabalhadoras da categoria. “Essa realidade precisa mudar e isso depende do nosso envolvimento”, destacou.

Em relação à Campanha de Sindicalização, foi decidido que o lançamento será no dia 16 de setembro, em Pouso Alegre. Os demais locais ainda serão definidos. “Esta Campanha pretende envolver as companheiras para informar a importância da sindicalização e a atuação das mulheres no Sindicato. É uma Campanha específica para motivar as metalúrgicas a lutar por melhores condições de trabalho, salário, igualdade de gênero”, informou a dirigente.

Além disso, para envolver as metalúrgicas na vida sindical e ampliar o debate sobre a questão de gênero, foi sugerido que as mulheres participem também de atividades de outras secretarias nas entidades sindicais, como saúde, formação e comunicação. “Quanto mais envolvimento, mais conhecimento, o que facilitará o debate de outras questões. Precisamos ampliar nossos espaços de participação”, conclui Maria Ferreira.

As reuniões do Coletivo de Mulheres da FEM estão sendo descentralizadas. Este ano, as duas primeiras haviam acontecido na FEM/MG e em Extrema. O próximo encontro será em novembro, no Vale do Aço, quando será feita a primeira a avaliação das sindicalizações depois do lançamento da Campanha e apresentado levantamento do número de mulheres na base.

Encontro Estadual de Mulheres da FEM

Na reunião desta quarta-feira, ficou acertada a realização do 1º Encontro Estadual das Mulheres Metalúrgicas para debater temas como saúde ocupacional, assédio moral, discriminação e a importância da mulher na política. O encontro acontecerá na segunda quinzena de janeiro, em local a ser definido.

Como sugestão para garantir a representatividade no evento, foi sugerido que cada sindicato seja responsável pela inscrição de dez mulheres, entre trabalhadoras da base e militantes. Ao todo, são 13 sindicatos na base da FEM-CUT/MG. Foi sugerido ainda que nessa data, seja feito o lançamento da Secretaria de Mulheres do Sindicato dos Metalúrgicos de Matozinhos.

Visita à Mercedes-Benz

Depois da reunião, as sindicalistas conheceram a planta da Mercedes-Benz em Juiz de Fora. A montadora atravessa problemas com a redução da produção dos caminhões e o quadro de funcionários. Para conter as possíveis demissões, Sindicato e empresa firmaram acordo neste mês, com suspensão do contrato de trabalho de 166 trabalhadores por cinco meses, via Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), e a implantação do banco de horas.

Comentários foram encerrados.