12

Motivos não faltam para justificar reivindicação dos metalúrgicos

Os metalúrgicos de Minas se reuniram mais uma vez com a Fiemg, nessa segunda-feira (28), para negociar as cláusulas propostas na pauta de reivindicações dos trabalhadores.

Nas cláusulas econômicas, a comissão de trabalhadores propôs manter o índice de reajuste salarial de 13,5%; reduzir de 4 para 3 faixas de piso salarial e preservar a cláusula que garante o abono para aqueles que não têm PLR.

A patronal fez a seguinte contra proposta aos índices de reajuste salarial:

Para empresas até 50 empregados, 2,5% em outubro/2015; 1% em fevereiro/2016 e 1% em maio de 2016. Totalizando = 4,5% .

Para empresas acima de 50 empregados, 3% em outubro/2015; 1% em fevereiro/2016 e 1% em maio de 2016 = totalizando 5%.

E os pisos corrigidos nos mesmos percentuais e mesmos meses que o salário.

A proposta da Fiemg continua muito inferior ao que os metalúrgicos de Minas entendem que os trabalhadores e trabalhadoras merecem, uma vez que várias medidas foram tomadas pelas empresas para se reequilibrarem perante o atual momento econômico.

Além disso, os números apresentados pela comissão de trabalhadores tem por base estudos do Dieese sobre ganhos reais de salário.

Entre os 20 motivos apresentados no estudo para fundamentar a luta por um reajuste salarial com ganhos reais, vale destacar o mais simples: Os salários no Brasil são efetivamente muito baixos. Isso por si só é razão suficiente para que os trabalhadores e o movimento sindical busquem permanentemente o aumento real nos salários.

Além disso, segundo o estudo, as empresas já vêm ajustando seus custos com mão de obra via redução do quadro de pessoal e também através do rebaixamento salarial por meio da enorme rotatividade que caracteriza o mercado de trabalho no Brasil.

Clique aqui e acompanhe o estudo completo do Dieese.

Ficou agendada nova rodada de negociação para a pauta de saúde, no dia 02/10/2015, próxima sexta, às 10 horas, na FIEMG e nova negociação com a Comissão Geral para o dia 07/10/2015, quarta-feira, às 10 horas na FIEMG.

Comentários foram encerrados.