juiz de fora

Nova proposta patronal não atende reivindicação dos metalúrgicos de Juiz de Fora e região

Metalúrgicos e metalúrgicas de Juiz de Fora e região devem recusar, em assembleia geral agendada para a próxima terça-feira (26), a contraproposta do sindicato patronal apresentada na quarta-feira (20, em audiência de mediação na Delegacia Regional de Trabalho e Emprego. As empresas propuseram pagamento de reajuste de 9%, retroativo a 1° de setembro. Anteriormente, os patrões ofereceram 7% sobre o salário de setembro, com 2% restantes aplicados em janeiro, sem retroativo. São em torno de 5 mil trabalhadoras e trabalhadoras envolvidos na negociação, excluindo ArcelorMittal, Mercedes-Benz e outras empresas que negociam acordos em separado. No total, a base tem 7 mil metalúrgicas e metalúrgicas em Juiz de Fora e região.

“Com uma proposta desta não vai dar acordo. Não vamos aceitar menos do que a reposição da inflação de jeito nenhum. Muitas empresas já nos procuraram para fechar acordos com 10% de reajuste. Mais de 40% das empresas ofereceram este percentual. Até o delegado regional do Trabalho considerou que proposta tira a credibilidade do sindicato patronal. Quando não parcelam o reajuste, querem rebaixá-lo. Isto a categoria não pode aceitar de jeito nenhum”, disse João César da Silva, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Juiz de Fora e Região (Stim-JF).

De acordo com o dirigente, a intransigência do sindicato patronal é localizada: as empresas Votorantim e Módulo Metal são contra o pagamento do retroativo. “Pelo que acompanhamos, sabemos que o problema é localizado.” Para João César da Silva, as empresas não podem alegar dificuldades.

Ele explica que faltam apenas acordos com a ArcelorMittal e o sindicato patronal, pois negociações com outras empresas já foram encerradas. “Os patrões estão sem argumento. Se existisse crise, as empresas não estariam fechando acordo com PLR. Mais de 90% dos metalúrgicos e das metalúrgicas tiveram os acordos renovados com PLR. Nos acordos, também, houve melhora no tíquete-alimentação. Na reunião de amanhã (quarta-feira) vamos apresentar uma série de documentos que comprovam isto”.

O presidente do Stim-JF lembrou que o Sindicato negocia acordos em separado com sindicato patronal, ArcelorMittal, Mercedes-Benz e demais empresas. “Algumas datas-base são diferenciadas. A da ArcelorMittal é outubro, a da Mercedes, maio. Para as demais a data-base é setembro”, revelou.

Comentários foram encerrados.