pimentel campanha

Pimentel assumi compromisso com os metalúrgicos de Minas

O café da manhã dos metalúrgicos, realizado pela Federação dos Metalúrgicos da CUT de Minas Gerais (FEM/CUT-MG), no Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e Região, nessa quinta-feira, 31 de julho, marcou, de forma muito positiva, o início da campanha salarial da categoria.

Depois do café, os metalúrgicos seguiram para a porta da FIEMG, que representa o setor patronal, onde foi entregue a pauta de reivindicações da categoria, que tem a data base no dia 1 de outubro.

Além do candidato ao governo do Estado pela coligação “Minas pra Você”, Fernando Pimentel (PT), estiveram presentes no encontro o ex-ministro do MDS, Patrus Ananias, os deputados (as) estaduais Adelmo Leão, Maria Tereza Lara e Rogério Correa; os deputados (as) federais Jô Morais, Nilmário Miranda e Weliton Prado, bem como centenas de trabalhadores, sindicalistas e lideranças políticas da esfera federal e estadual participaram do encontro.

Pimentel falou sobre o setor industrial e disse que Minas vive há 12 anos num deserto econômico. “Conseguimos trazer 10 novas fábricas: US$ 8 bilhões em investimentos. Ocorre que nenhuma dessas fábricas veio para Minas. E não veio por um motivo simples: o governo não soube trazê-las para cá: com uma legislação tributária errada, o ICMS mais alto do Brasil, com um custo de energia altíssimo, por causa do ICMS”, explicou.

Plataforma dos metalúrgicos

Durante o evento, o presidente da FEM/CUT-MG, José Wagner, apresentou aos parlamentares presentes uma plataforma com bandeiras históricas de lutas dos metalúrgicos de Minas.

Entre os tópicos, vale destacar o que reivindica o fim da violência policial contra os movimentos sindicais, principalmente, durante a campanha salarial e as greves. Segundo os sindicalistas, policiais e seguranças contratados pelas empresas, que na maioria das vezes também são policiais, intimidam os trabalhadores e os sindicalistas e tentam impedir que eles exerçam suas mobilizações.

O fim do fator previdenciário é outro ponto de destaque na plataforma, isso porque, depois que foi implantado pelo governo do PSDB, os aposentados tiveram perdas salariais de 40%.

A plataforma foi entregue ao candidato Fernando Pimentel e aos parlamentares presentes, que assumiram o compromisso de, se eleitos, tornarem suas as bandeiras de lutas dos metalúrgicos.

A plataforma consiste em 10 tópicos. São eles:

1) Jornada de 40 horas semanais, sem redução dos salários
2) Fim do fator previdenciário
3) Não a PL 4330 que regulamenta a terceirização
4) Piso salarial regional
5) Criação de um conselho estadual de desenvolvimento industrial
6) Redução da rotatividade no mercado de trabalho
7) Fim da violência policial contra os movimentos sindicais
8) Enfrentamento da violência contra a mulher
9) Creche
10) Proteção a saúde e a segurança do trabalhador.

Além desta plataforma, os metalúrgicos de Minas reforçaram a importância de se efetivar as reivindicações propostas nos 13 pontos apresentados pela CUT.

Comentários foram encerrados.