sindicalismo

Sindicalismo precisa recuperar força eleitoral, apontam dirigentes

O movimento sindical precisa se aproximar do mundo político, reposicionar-se no espaço partidário e recuperar protagonismo eleitoral. Há uma distância entre mundo sindical e mundo político que pede mais diálogo e reaproximação.

Este foi o centro das análises do ciclo “Sindicalismo e Eleições”, levado ao ar, em cinco edições, pelo programa Repórter Sindical na Web, exibido pela TV Agência Sindical e TV Comunitária de Guarulhos, NET, Canal 3.

Participaram – O jornalista, escritor, ex-deputado e histórico presidente dos Jornalistas, Audálio Dantas abriu a série; na sequência, participaram o presidente do Sindicato dos Padeiros e Dirigente da UGT, Chiquinho Pereira; o professor, líder da categoria e presidente do Diap, Celso Napolitano; o dirigente do Sintaema, deputado estadual por dois mandatos e vice da CTB, Nivaldo Santana; e o metalúrgico e ex-vereador paulistano, por dois mandatos em SP, Cláudio Prado.

Formação – Para o professor Napolitano, “é preciso que as entidades invistam mais em formação dos dirigentes vocacionados para a política”. Sem formação e ação articulada com as entidades e os movimentos populares, os candidatos de origem sindical tendem a ser secundários no processo eleitoral.

No último programa do ciclo, dia 29, Cláudio Prado falou de proposituras e leis de sua iniciativa, que acabaram aprovadas, e defendeu que o movimento possa apoiar também candidatos do campo democrático, que não sejam necessariamente dirigentes sindicais.

Comentários foram encerrados.