dia-11

Trabalhadores vão as ruas contra a PEC 55

Teve início às 9h00 dessa sexta-feira, 11 de novembro, na Praça da Estação, no centro de Belo Horizonte, a concentração de trabalhadores para o dia nacional de greve geral contra a PEC 55 (antiga 241), que cria um teto para os gastos públicos por 20 anos, e outras medidas do atual governo que retiram direitos dos trabalhadores.

Várias atividades serão realizadas durante todo o dia como forma de mostrar para a sociedade os malefícios que a PEC 55, se aprovada, causará na vida das pessoas.

A Proposta de Emenda Constitucional 55, em tramitação no Senado, que na Câmara dos Deputados estava identificada como PEC 241, deverá ser votada em plenário até o dia 15 de dezembro. A medida, uma das principais missões assumidas pelo governo de Michel Temer (PMDB), vem recebendo duras críticas.

Economistas e acadêmicos classificaram de contraproducente, injusta, antidemocrática e inconstitucional Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55. Os profissionais disseram que a proposta é incapaz de resolver a situação econômica do país e apontaram como alternativa uma reforma tributária.

A PEC 55 é uma escolha política. Longe de ser “a única saída”, o congelamento do orçamento por 20 anos é uma medida que beneficia os de cima contra os de baixo. Ganham os banqueiros, ganham as grandes empresas, perdem os trabalhadores, o povo pobre, a juventude; a grande maioria da população.

Comentários foram encerrados.