31

V Plenária FEM/CUT-MG: Patrus afirma que a mídia faz oposição ao Brasil

Durante sua participação na V Plenária da FEM/CUT-MG, o ex-ministro do desenvolvimento social e combate a fome, Patrus Ananias, depois de uma análise de como se deu o surgimento da Rede Globo, que é o resultado de um acordo com o grupo Time-Life, dos EUA, chegou a conclusão que estes grupos de comunicação não estão fazendo oposição ao PT ou ao governo da presidente Dilma, mas sim ao Brasil.

“Estou convencido que existe interesses internacionais por traz de baixar a auto estima nacional. Não interesse aos interesses imperialistas dos EUA um país emergente como o Brasil, quebra a lógica desse sistema capitalista hegemônico”, disse.

“O Brasil está vivendo uma situação muito estranha. É inegável que o país teve nos últimos anos conquistas extraordinários, o Brasil está vencendo a luta contra a fome, a pobreza, a miséria. Os programas sociais implantados por esse governo vêm apresentando resultados extraordinários que mobiliza o mundo inteiro. Além desses programas, houveram a criação de dezenas de universidades, centenas de escolas técnicos profissionais, um nível de emprego excelente, quase que pleno emprego, o ProUne possibilitou milhares de jovens ingressar na universidade, Fies, programa Luz para Todos. O país viveu grandes conquistas e avanços e de repente a mídia e os meios de comunicações estão apresentando como se o Brasil não tivesse nada, como se nada tivesse sido feito, como se o país tivesse na beira do abismo”, disse Patrus.

O ex- ministro falou também sobre a importância de se discutir mais profundamente a redução de jornada de trabalho e do fim da terceirização. “A redução da jornada de trabalho para 40 horas é uma questão fundamental. O pai e a mãe têm que ter tempo para a família, o jovem tem que ter tempo para estudar, para se aprimorar e participar da vida da comunidade. A terceirização desconstrói e fraciona a classe trabalhadora para enfraquecer os sindicatos”.

Patrus ressaltou também a oportunidade que o partido vive hoje de vencer os tucanos em Minas e colocar fim no controle imposto no estado pelo senador Aécio Neves. “O PT, a esquerda, o campo democrático popular, as nossas forças sindicais estão se coesionando em torno da candidatura de Fernando Pimentel, como estamos coesionados em torna da reeleição da Dilma. O companheiro Pimentel tem buscado um diálogo com o movimento sindical, teve um encontro com a CUT, tem conversado com lideranças sindicais, então nós temos um momento importante onde nós podemos avançar”.

Comentários foram encerrados.